EM BUSCA D'ÁGUA


Um homem chega em frente ao mar
Após cruzar desertos e rios

Uma mulher chega em frente ao lago
Após cruzar montanhas e matas

Essa água esteve nos seus sonhos por muitas vezes
Essa água esteve nos seus sonhos por muitas vezes

Ele pede licença
Ela pede licença

O mar lhe concede licença
O lago lhe concede licença

Ele molha seus pés
Ela molha suas mãos

E tremem
De receio e desejo

E vibram
De medo e amor.

Ele vagou por tantas mortes
Ela vagou por tantas vidas

Para não se sentir preparado
Para precisar retornar

Ele não pode mergulhar seu corpo
Naquele abismo de massa confusa
No desconhecido que lá habita

Ela não pode mergulhar seu corpo
Naquele poço de rosto escuro
No desconhecido que lá habita

Voltaram a peregrinar
Trilharam mil mais rotas
Buscaram água no deserto
No fundo da areia e da pedra

Não se entregaram ao sonho
Ao perigo de ser real
Pelo temor de se perderem

No infinito aquário.

(Guebo)


Nenhum comentário:

Postar um comentário