MEU DIREITO

Tenho fome de direito a terra
Tenho sede de direito a água
Tenho ânsia por igualdade
Vontade de universidade, moradia, cidade
Desejo cultura, educação e verdade
Mas a tudo me negam propriedade!

Não sei se tenho tantos direitos
Ou se o tal "Direito" não tá certo...
Sei é que não acho chão pra plantar,
Escola boa pros meus menino estudar,
Casa decente pra morar, trabalho pro bem viver,
Espaços para opinar, poder realmente dizer!

Mas não tenho medo não. Garanto que sou feliz!
Só assim descobri que o preciso mesmo é criar:
A gente não pode esperar o que do céu não vai cair!
Por isso eu grito, canto, combato, negocio,
Me junto com outras, movimento, reviro, mereço,
Conquisto: sei que o povo tudo conquistará!

Luto pelo dia que teremos muito mais
Do que esses direitos tão formais.
Esse é o meu direito de mudar,
Que nenhum código vai me tirar:
Direito de criar mundo novo
Pra que toda gente possa amar!

(Guebo)

Um comentário:

  1. Olá! Achamos um poema seu nos nossos arquivos dos membros da Assessoria Jurídica Universitária Popular. Você tem alguma ligação com o projeto? É um lindo poema, vamos divulgar entre a gente!

    ResponderExcluir