VISÃO DA OBRA

Rema, trabalhadora!
Rema, rema, trabalhador!
Vai trilhar tua história de dor
Vai sofrer, vai amar, vai viver o amor

No fim da era do desperdício
Tu que vais navegar o tempo
O autogoverno dos corpos
E o sentido dos trabalhos

Produção para necessidade
Economia para solidariedade
Tantas coisas a criar
Tantos caminhos a curtir

Vai, vai construir
Nova razão, nova ração, nova nação
Velhas regras vão cair
Enquanto novas surgirão

(Guebo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário